quinta, 10 de setembro de 2015

São Paulo: o que eu vi por lá

49 Comentários

Disclaimer importante: teve uma leitora, cujo comentário vocês podem ler aí embaixo, que se disse “decepcionada” comigo porque eu escrevi que detesto SP. Vou dizer aqui o mesmo que falei por e-mail para ela: não odeio mais SP, é só ler o texto inteiro antes de comentar ou mandar e-mail me considerando a pior pessoa do mundo. E mesmo que eu odiasse, essa é a MINHA opinião. E eu tenho plena e absoluta certeza que eu detestar algo – seja SP, pequi, jiló ou chocolate – não afeta EM NADA a vida de ninguém. Isto aqui é UM BLOG, portanto é um local onde eu posto sobre minha vida, minhas desventuras e, obviamente, minhas opiniões. Se não fosse assim, eu chamaria de portal de receitas e jamais escreveria nada antes do título da receita. Sou uma pessoa muito aberta para debates e discussões, gosto bastante disso na verdade. Tanto que no post sobre como eu não curtia certos atores, achei produtiva a discussão nos comentários com quem discordava de mim. Então, se quiser comentar aqui embaixo sobre como SP é linda e eu estou equivocada sobre não gostar dela (apesar de MEU DEUS EU DISSE QUE EU JÁ GOSTO DE SÃO PAULO, JÁ CITEI QUALIDADES DELA, LEIA DE NOVO, SOCORRO!), fique a vontade, mas saiba que, como é um BLOG, com opiniões, eu vou conversar com você (ou tentar, se você quiser) expondo a MINHA opinião.
E sabem o que é mais legal disso tudo?! É que ninguém precisa ficar chateado com nada disso, porque ninguém é obrigado a gostar das mesmas coisas que os outros. :)

Então eu viajei para São Paulo. O motivo era comemorar quatro anos de namoro e, estando num aperto financeiro, quando a viagem vem de presente divino, a gente apenas aceita, né?
A verdade é que detesto São Paulo. O cinza, a correria, a grandiosidade fora do que é sensato, a facilidade com a qual ela leva embora quem eu gosto, tudo isso me faz detestar São Paulo. Não tem nenhuma razão, apenas sentimento. Então, esta também foi uma viagem para dar uma chance pra cidade. Me mostra que existe amor aí, Essepê.
Eu entendi a cidade nessa viagem – ou pelo menos na minha lógica. Ela é boa porque tem gente boa nela. Fui bem tratada por todos, até mesmo pela Carole Crema depois de gritar no ouvido dela no meio da rua. Fui guiada pelo casal Culinarístico mais querido e paciente, que não reclamaram quando fiquei 1h procurando paninhos na 25 de Março.
Gostar de SP significa priorizar outras coisas na vida. Você não vai andar de carro, mas vai ter um transporte público muito bom. E ciclovias. Você não vai ter uma cozinha grande no apê, mas vai estar num lugar onde você encontra praticamente qualquer ingrediente. Menos pequi (o que na verdade é fantástico, pequi fede). A conclusão é que não amo SP, mas estou aprendendo a gostar dessa cidade, aos pouquinhos.

Diquinhas ótimas do que visitei e onde comprei em SP para os viajantes, ou até paulistas:
Leckerhaus (Rua Dr. Melo Alves, 293): café da manhã com a Pri e o Robson, uma delícia! Queria voltar de novo, pena que foram poucos dias.
La Vie En Douce (Rua da Consolação, 3181): não sei nem porquê estou falando desse lugar, certamente todo mundo conhece. Melhor bolo de coco gelado ever. Mas não compre o congelado, infelizmente não fica tão bom depois de descongelar.

saopaulo_eataly
Eataly (Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1489): falência, paraíso e perdição. O mote do lugar certamente é “convença as pessoas a comprar por impulso”. É tudo tão lindo que você não consegue pensar direito. Mas tem coisas bem em conta e tem coisas absurdas, como duas favas de baunilha por 50 reais. As mesmas que estavam por 16 no Empório Santa Luzia e por 13 no Mercadão. Olhe com calma e, se tiver acesso à internet, aproveite para pesquisar.

saopaulo_jamie
Jamie’s Italian (Avenida Horácio Lafer, 61): ah, tinha que rolar, afinal eu estava com a Pri. Tomei um suco berry twist não-sei-o-que que estava de agradecer ajoelhada e todos os pratos estavam deliciosos. Sim, eu provei os 4 da mesa, porque sou gordinha. Achei os preços justos, Jamie não quis nos usurpar.
Tatini (Rua Batataes, 558): vá pelo fettuccine feito no bloco gigante de grana padano. E só. A cesta de pães é feita na padoca e até com torrada da Bauducco. Nada contra, mas não me cobre 20 reais por isso.
Mercadão (Rua Cantareira, 306): eu estava esperando uma outra vibe, mais feira, mais Ceasa, mais bagunça, que é o que eu curto. O lugar é tão arrumadinho que dá até medo de esbarrar em alguma pirâmide de fruta e acabar com o feng shui. Mas lá tem sementes de papoula. É só perguntar no mocó que o vendedor brota com um pote enorme à granel.
Mosteiro de São Bento: parece que nem paulista sabe, mas o mosteiro tem uma padaria e confeitaria. Madeleines deliciosas, vale a pena! O pão de mel com geleia de damasco também é muito bom.
Niazi Chohfi e Lojinha Logo Atrás da Niazi: Pri me avisou, enquanto cruzávamos a 25 de Março, que ali tinham panos legais para guardanapos. Então entramos e descobrimos o fantástico mundo dos paninhos de patchwork. Já vem pedaços pequenos, enroladinhos e num preço bom. Comprei vários, e quando digo vários quero dizer mais de 30. Pobre Sr. Namorado e Robson, que ficaram plantados em pé enquanto eu e Pri garimpávamos paninhos e fazíamos amizade com senhorinhas de patchwork. A outra loja eu não sei o nome nem consegui achar pelo Google StreetView, mas é diretamente do outro lado da rua e também é de panos.
Apfel: comida vegetariana e deliciosa! Tudo com gosto de comida de mãe, e não tem nada melhor que isso.

saopaulo_liberdade
Liberdade: são tantas lojas que não da pra apontar todas. Vá descendo a rua Galvão Bueno e entrando nas que te interessarem, portanto reserve um dia inteiro para o bairro. Até porque lá tem casas de lamen (com 1h de fila mas que vale cada segundo de espera) e a Bakery Itiriki, que merecem uma comilança.
Ben & Jerry’s (Rua Oscar Freire, não lembro o número): melhores sorvetes do mundo. Sr. Namorado acha um absurdo eu dizer isso com a Bacio di Latte do lado, mas eu prefiro sorvete de criança do que sorvete sofisticado. Chocolate com cookies triplo mil vezes antes de pistache da patagônia. Segundo a moça que nos atendeu, essa é a maior loja Ben & Jerry’s do mundo inteiro.

Acreditem se quiser, não fui em nenhuma loja de confeitaria. Tinha planejado visitar a Central do Sabor no sábado, mas perdi a hora procurando paninhos na 25 de Março. Juro, a culpa foi dos paninhos, hahahaha. Fica pra próxima visita, que há de acontecer!

  1. Inês
    10 de setembro de 2015 - 09:24

    Sempre gostei de receber seus e-mail, mas hoje juro que fiquei decepcionada.
    Sua colocação “A verdade é que detesto São Paulo.” foi horrível.
    Pena que não tenhas olhos para ver que dentro da loucura que é essa grande cidade, há muita beleza, encantamento e serviços que só aqui há.
    Pena de verdade…

    • 10 de setembro de 2015 - 13:17

      Inês, deixei um disclaimer no post, além do que já “conversamos” por e-mail. Obrigada pelos desejos de sorte. Pra você eu desejo amor, porque pra ficar decepcionada com essa besteirinha… não fique não! Certeza que SP vai te dar bastante, aí tem muito amor sim que eu sei :)

  2. 10 de setembro de 2015 - 09:49

    Que bom que começou a “ir com a cara” de SP! Sou de SP, nasci e sempre morei na Zona Norte. Atualmente trabalho na região da Paulista, sabe, famosa…. Curto aqui pelas facilidades, por tudo isso que você descreveu ai em cima. Curto poder sair a qualquer hora e qualquer dia da semana e ter sempre mercado, padaria, shopping, confeitaria, café (e infinitos etcs) abertos… rsrsrsrs Mas também odeio com todas as minhas forças este trânsito infernal para vir e voltar do trabalho. É fato que o corredor de ônibus ajudou muito o sistema de transporte público por aqui, mas o número de ônibus rodando no horário de pico ainda não é suficiente…. todos superlotados, você tendo que esperar passar vários para conseguir se pendurar na porta de um…. E isso estou falando de regiões bem atendidas, mais centrais… nem preciso comentar como os bairros mais afastados e pobres sofrem com carência no transporte. Também saiba que, por aqui, grande parte das ciclovias têm sido implantadas sem critério – trazendo perigo para ciclistas e pedestres inclusive…. Espero que um dia um bom prefeito consiga organizar essa bagunça que está atualmente sendo feita…. enfim…. Confesso, também, que apesar de nascida e criada aqui, ainda há muitos lugares que gostaria, mas não visitei! kkkk e isso é comum entre nós, conterrâneos… kkkk Por ex, vejo programas com a Carole, mas nunca fui lá comer o bolo gelado dela (apesar de trabalhar perto e de adorar bolo gelado….). Também ainda não fui ao Eataly (falta de tempo e de coragem, pois li bastante sobre as filas….). Enfim! Volte, volte mesmo, pois a cidade passa de odiosa a maravilhosa em segundos! A Central do Sabor foi reformada recentemente e ficou ótima (sempre que posso dou uma fugida para lá no meu almoço), mas a loja de confeitaria que mais tem me encantando no último ano é a Loja Santo Antonio (não fica na região central, fica em um bairro da Zona Leste, Tatuapé: Rua Serra de Juréia, 736 – o acesso ao metrô é possível, embora não tão próximo.) Essa loja tem muitos itens importados (faço a festa com chocolates Callebaut) e no piso superior há muitos itens para decoração. Enfim, espero te ver novamente num post aqui em Sampa! Bjs!

    • 10 de setembro de 2015 - 13:43

      Eita Ju, é de comentários como o seu que eu gosto! Sim, é verdade, toda cidade tem prós e contras! Aqui em Brasília, por exemplo, a gente sequer tem metrô (ele só liga as cidades distantes ao centro, então nem considero metrô efetivo), tem poucos ônibus e tudo é muito precário. Mas a passagem é R$ 2! Olha a vantagem! hahahaha
      Ainda mais SP que é GIGANTE, como você mesma disse, às vezes você mora aí mas nem chegou a conhecer tudo, né? Nas próximas viagens – porque vou voltar pra SP, com certeza! – vou marcar a Loja Santo Antônio como prioridade! Não fui dessa vez porque estava distante mesmo. Mas tenho certeza que aos poucos vou gostar mais e mais de SP! :) Beijo grande!

  3. ana cleide cerveira lima
    10 de setembro de 2015 - 12:26

    Valeu, Juliana!

    E´bom saber dessas referencias Com um mundão ao nosso redor fico meio perdida tanto pela qualidade e preço.
    Moro tao longe…, mas já fui a Sao Paulo ,muito rápido! Ainda to na busca da forma de Madeleine !!!!

    Abraços,

    • 10 de setembro de 2015 - 13:44

      Ana, espero que o post te ajude! Realmente, ainda mais em SP que é uma cidade enorme, dá pra ficar perdida fácil. Não vi fôrmas de madeleine de metal nessa viagem, mas acredito que possa ter na Central do Sabor ou na Loja Santo Antônio! Beijos!

  4. 10 de setembro de 2015 - 13:13

    Ju, por incrível que pareça, eu nasci em SP, vivi lá até os meus 7 anos, se não me falha a memória, porém, eu não gosto muito de SP. Me irrita o transito, a poluição e aquele mundaréu de gente. Eu não suporto aglomerações, por isso que nem no centro aqui de POA eu costumo ir para evitar isso tudo.
    PORÉM em SP tem a Priscila e o Robson e isso é um dos meus ÚNICOS motivos de querer ir pra lá sempre.
    Adorei o post, as fotos estão lindas e os panos, ah os panos, eu te entendo!
    Beijos!

    • 10 de setembro de 2015 - 13:45

      Se SP não tinha amor antes, agora é CHEIA DE AMOR porque tem o casal Culinarístico! Só falta a Sara em SP pra ser uma explosão de amorrrrrr!! :)

  5. 10 de setembro de 2015 - 13:35

    Obrigada pelas dicas. Mudei a pouco pra cá e também não vou com a cara da cidade, odeio multidões, com suas dicas vai dar pra passar o tempo aqui aproveitando o que pode se tirar de bom!
    Abraço

    • 10 de setembro de 2015 - 13:46

      Bárbara, até que nem vi muita multidão nas vezes que fui em SP (exceto na 25 de Março né, porque é SEMPRE multidão). Mas realmente tem gente pra caramba em SP, nos horários de pico então deve ficar mais evidente ainda. Beijos!

  6. Roberta Nascimento
    10 de setembro de 2015 - 14:09

    Jú, não costumo comentar muito, mas adorei o post. Vários lugares que ainda não conheço, mas sempre tive vontade de conhecer e alguns outros sobre os quais eu ainda nem havia ouvido falar (Padaria e confeitaria dentro do Mosteiro São Bento?! Como assim?? o.O rs) e deu uma super vontade de conhecer (espero sair da vontade logo). E gostei, também, das sua colocações sobre o trânsito, o cinza, a grandeza e a correria, são coisas que eu, nascida e criada aqui em SP também detesto, a gente acaba se acostumando, se acomodando ao incomodo.. Mas minha cara mesmo é o interior de SP, onde há menos oportunidade, menos facilidade, mas mais paz de espirito!
    Enfim, passei para te dizer que volte sempre a SP, estaremos te esperando de braços abertos e sorriso no rosto e não abandone nunca esta sua sinceridade ao escrever aqui, pois é ela que faz eu me apaixonar cada vez mais por este cantinho!
    Bjos ;)

    • 16 de setembro de 2015 - 23:16

      Roberta, ta vendo? Até quem mora na cidade não sabe das coisas dentro dela. É uma cidade grande demais, né? Que bom que o post foi útil :) Beijos!

  7. ana cleide cerveira lima
    10 de setembro de 2015 - 14:20

    Oi Juliana valeu a dica. Mas, enquanto faço minha busca, vou experimentar o sabor do bolinho em outras similares. Acredito deve ta uma delicia!
    A proposito, a receita do Sweet cake ( bolo de tabuleiro), fiz conforme estava no blog em forminha de cupcake, uma delicia. Alterei só na decoração . Maravilhoooooooso!!!
    Que DEUS continue te iluminando.
    Abração.

  8. Angélica
    10 de setembro de 2015 - 15:44

    Ben & Jerry’s é a melhor mesmo, experimentei o de massa de cookie lá em NY e foi o melhor sorvete da minha vida! Esperando agora vender no mercado, pq não dá pra eu ficar indo pra SP só pra tomar sorvete né?

    • 10 de setembro de 2015 - 16:41

      Angélicaaaaaaa, tem um de cookies que tem tipo três tipos de cookies que é DE COMER AJOELHADA AMANDO TUDO. <33333333

  9. 10 de setembro de 2015 - 16:28

    Meu deus, você foi pra Sampa e não visitou uma loja da Daiso? Puta merda Ju, estou decepcionada contigo! A Daiso é o paraíso pra quem curte cozinhar e também pra quem curte coisas fofas, e é pertinho da Liberdade!

    • 10 de setembro de 2015 - 16:42

      Fê, eu fui sim!! Mas achei meio de final, a loja parecia até meio sem estoque… na verdade, acho que eu já tinha comprado tanta variedade na Liberdade que acabei sem muito o que olhar na Daiso. Ou será que fui na Daiso errada?!

      • 11 de setembro de 2015 - 16:36

        É, às vezes acontece de eles ficarem meio sem estoque. Às vezes também acontece de você comprar uma coisa num dia e nunca mais ter essa coisa na loja. Mas realmente, ir lá depois de um passeio na Liba é um pouco ofuscante. Mas o timer de coelhinho é muito amor!

        • 11 de setembro de 2015 - 18:07

          Não achei o timer de coelhinhooooo, poxa vida. Mas comprei lá uma caixa de pano pra colocar paninhos heheheheh <3

          • 13 de setembro de 2015 - 22:26

            Caramba, se não tinha o timer de coelhinho, é porque você foi num péssimo dia MESMO, porque sempre que vou, tem quilos disso. Esse timer é digital e tem de coelhinho, ursinho e outras formas fofas. Tem certeza que vasculhou a loja inteira? Inclusive o segundo andar?

          • 16 de setembro de 2015 - 23:19

            A loja inteira. Acho que tava meio sem estoque mesmo. hahahaha

  10. Ramon Abreu
    10 de setembro de 2015 - 16:48

    Ai Ju, preciso te confessar: a primeira vez que fui a São Paulo, foi na Bienal de 2012 e foi um desastre. Odiei o lugar, a companhia e a vibe. Mas esse ano voltei lá e NOSSA, como amei. As pessoas foram super simpáticas comigo e o metrô mil vezes melhor que o do Rio… Adorei as indicações, juro que vou em pelo menos três lugares desses. E outra, estou doido para experimentar esse paão de mel do Mosteiro de São Bento, já ouvi maravilhas sobre ele .
    Beijo no core <3

    • 10 de setembro de 2015 - 17:22

      Ramon, to genuinamente triste de ter comprado só um pão de mel lá. Compra dois que você com certeza vai querer outro quando acabar o primeiro! :D E ir na Bienal de SP também é uma meta, deve ser muito boa, né?! Beijos!

  11. Pâmella Cristina dos Santos
    11 de setembro de 2015 - 17:15

    Boa Tarde

    Muitas pessoas dizem que São Paulo é ruim pela multidão, barulhos e etc…, mais sabia que é exatamente isso que me encanta em São Paulo? Não gosto de lugares pacatos, silenciosos… me sinto triste… eu gosto é da bagunça. E como a Juliana disse, visite sim a Loja Santo Antônio. Fico louca toda vez que vou lá…. A loja foi reformada e está enorme… vale a visita

    • 11 de setembro de 2015 - 18:07

      Pâmella, não é nem a multidão ou o barulho que me incomodam, isso eu nem ligo sabe? Mas talvez eu diga isso porque nunca enfrentei o metrô no horário de pico hahahahaha. Beijos!

  12. LSantos
    11 de setembro de 2015 - 21:00

    Leio e gosto muito do blog. Moro em SP e também não acho lá essas coisas: muito artificial para o meu gosto. Tem tudo que precisamos e não precisamos: filiais de lojas no exterior (conhecemos lá, com variedade e muito mais barato) que quem não tem disponibilidade para gastar tanto acaba sem conhecer . Achei sua frase perfeita : ” … a grandiosidade fora do que é sensato… “. Muito bom!

    • 16 de setembro de 2015 - 23:18

      LSantos, verdade, tem tudo que precisamos e até o que não faria a menor diferença em nossas vidas até a gente descobrir que existe, tipo o bolo de coco da Carole hahahahah Beijos!

  13. 14 de setembro de 2015 - 00:33

    Ju, se vc vier a SP com TEMPO pra ir a lojas de confeitaria, se desdobra um pouco pra vir pra ZL e vai até a Loja Santo Antonio. O site não 1/4 do que tem na loja, que é surpreendente porque parece pequena, mas tem dois andares. :]
    E se tiver um tempo pra um café cas leitora, será um prazer. :P

    Obs: SP é legal pra comprar coisas, mas é péssima em qualidade de vida. :/ Se eu pudesse levar a facilidade de compras daqui pra outro lugar, seria perfeito hahahaha

    • 16 de setembro de 2015 - 23:19

      Lilian, da próxima vez, vou marcar um café cazamiga de SP <3

  14. 14 de setembro de 2015 - 07:51

    […] rolou um comentário de uma leitora que me deixou bem chateada – vocês podem ver aqui. Acho que eu estava psicologicamente já bem afetada por tudo de louco que estava acontecendo no […]

  15. Alessandra
    14 de setembro de 2015 - 11:00

    Sou mais uma paulistana que não se ofende com sua opinião sobre SP, muito bem defendida por sinal. Eu mesma fugi de lá há anos. Meu marido é fluminense e eu ODEIO o estado do Rio de Janeiro. Para mim, não tem uma cidade que salva, e conheço várias. E tenho uma amiga que não suporta Elis Regina. E viva o mundo da diversidade de opiniões!

    Quanto ao universo de SP, confesso que tenho me decepcionado bastante. Depois que a gente tem a oportunidade de conhecer outros países e ver que você encontra de tudo em qualquer supermercado de bairro, enquanto aqui qualquer importado vira iguaria com preços pornográficos em lugares muito específicos – e vou repetir seu exemplo das 2 favas de baunilha a R$54,00 que vi no Eataly (eu ri!) e nem extrato tinha aliás – a gente começa a questionar se SP é isso tudo mesmo. Ficando no mesmo exemplo de local, achei o lugar muito pobre de variedade de produtos no geral. Muuuuito barulho por nada. Que SAUDADE do Pike Place Market em Seattle!

    Quanto a restaurante, comi num indiano bom, Tandoor, mas não servem arroz basmati! Fiz um comentário no Tripadvisor e o sujeito que respondeu disse que brasileiro não gosta do cheiro do arroz ( se o cara se dispõe a comer curry vai encrencar com o cheiro do basmati?!) e não quer pagar R$25 reais pela porção. Enfim, não temos oportunidade REAL de conhecer o que de bom as outras culturas tem a oferecer – ficando só na culinária para exemplificar.

    Não costumo ir muito para SP, confesso que por preguiça de encarar a cidade (moro a 80km), e não conheço bem onde achar produtos e utensílios. Não sei se você já fez um post assim, mas fica a sugestão de dicas de locais de compras de coisas para confeitaria, pois nunca tinha ouvido falar da Daiso por exemplo (de que lugar é a foto acima?). Suas leitoras e minhas conterrâneas mais antenadas poderiam contribuir com seus conhecimentos. Quem sabe, assim, eu elevo meu conceito um pouco mais? Quero mais do que o “quando não tem tu, vai tu mesmo”, principalmente quando você sabe que o “tu” existe e não deveria ser tão difícil de achar…

    • 16 de setembro de 2015 - 23:27

      Olha Alessandra, você tem toda razão. Eu sofro de depressão aguda pós viagem internacional. Acho tudo muito absurdo aqui, desde preços até comportamentos. Não que lá fora seja uma maravilha incrível, claro que não é, mas percebi já que meus maiores problemas com a sociedade num geral infelizmente são altamente aguçados no Brasil. Esse seu exemplo do arroz basmati é uma dessas situações. Eu sofro bastante tentando fazer algumas pessoas gostarem de buttercream, por exemplo, porque foi-se instituído no Brasil que margarina é uma delícia e muito saudável – o que são duas mentiras enormes hahahaha. E muitos anos desse paradigma tornaram o paladar do brasileiro extremamente frágil para manteiga. Logo, as vezes você até tem uma confeitaria bacana que quer fazer tudo com os melhores ingredientes (usando manteiga, por exemplo), só que ela mesma recebe reclamações de clientes de que está tudo “muito amanteigado”. Já ouvi um dono de padaria chorando pitangas comigo sobre isso uma vez, dizendo o quanto é frustrante (ele era formado padeiro na Austrália, por exemplo). Enfim, é a vida. A foto das forminhas penduradas é da Liberdade! Beijos!

  16. Andrea
    14 de setembro de 2015 - 13:05

    Oi Juliana!!!! Estou aqui, escrevendo pra você para dizer que amo seu blog. Adoro como fala da sua vida e como conta sobre suas experiências na cozinha. Amo cozinhar, amo me divertir experimentando ingredientes, inventando receitas e aqui é meu point nº 1. Não me importo se gosta ou não de São Paulo, rrss. Uma coisa que aprendi na vida é respeitar a opinião das pessoas. Posso concordar ou não com suas opiniões e diferença é boa. Isso é que é mágico e divertido na vida, as pessoas não são iguais, não pensam iguais, não agem iguais, que bom! Já pensou que horror seria se todos fossem iguais, que graça teria? Além do mais esse é seu cantinho, seu blog e é onde se sente a vontade para falar, contar de seu dia a dia e nos encher de receitas, uau!!!!! Adoro!!!!! Obrigada por compartilhar receitas incríveis, sempre que faço suas receitas recebo muitos elogios e faz o maior sucesso entre meus amigos e parentes. Ah sempre conte sobre suas viagens e as lojinhas que visita, vibro com cada novidade. O mundo virtual é assim livre, viajo onde quero e permaneço onde gosto. Aqui também é meu cantinho. Que sua semana seja ótima. Bjs

    • 16 de setembro de 2015 - 23:29

      Andrea, que bom que curte os posts, especialmente os de viagens! Amo fazê-los, e espero que ajudem vocês de alguma forma! :) Beijos!

  17. ana cleide cerveira lima
    15 de setembro de 2015 - 02:40

    Juliana,

    Hoje o mundo ta tao apressado, confuso irritado e, as pessoas esquecem sempre das coisa mais simples, que e´ o amor pelo próximo. Nao se irrite com tao pequenas coisas. Respire fundo. Agradeça a DEUS pelas coisas boas que tens conquistado e segue em frente com a certeza que amanha será melhor. O que ficou pra tras ja foi!

    Um abração !!!

  18. Paola
    15 de setembro de 2015 - 11:13

    Como sempre seus posts são MARAAAAAA! !!!! Amo ler o blog. Já fui a Sampa e fiquei doida com a loucura que eh a cidade. Bom saber que tem tanta coisa legal pra visitar. Obrigada Ju por dividir com a gente a sua visão da vida das coisas e da cozinha. Permaneça assim menina. Bjxxxx

  19. 15 de setembro de 2015 - 23:04

    Moro em Salvador e se eu fosse tirar satisfação com todo paulista/paulistano que dissesse que detesta nordestino, que somos mal educados, que não suporta carnaval, tem pavor do nordeste e etc..etc…eu já estaria louca.
    Eu nunca tive a menor vontade de conhecer São Paulo até o dia que fui lá fazer um curso que queria muito, não que na minha cidade não tivesse, mas o curso de lá era o melhor do brasil e eu queria o melhor….
    Depois desse dia eu passei a amar essa cidade e morro de amores até hj. É tanto que uma amiga minha paulistana que ama Salvador e o chiclete com banana, não entende como eu posso amar essa cidade cinzenta, sem praia, sem sol.
    Amor não se discute. Quem ama o feio bomito lhe parece.
    Simples assim.

    • 16 de setembro de 2015 - 23:40

      Paola, verdade, quando a gente ama, qualquer coisa fica bonita. Brasília é seca igual o deserto do Atacama nessa época, e eu a amo igual, mas sei de quem a odeia por causa dessa secura. Realmente, por isso, não vejo aonde chegamos com brigas por causa dos gostos dos outros. Pequi, quem diabos gosta de pequi??? Pequi é uma afronta ao universo!

  20. Heloiza Dos Santos Almeida
    16 de setembro de 2015 - 10:19

    Oi Ju!!! Adoro suas dicas, seus comentários, e é hilário ler sobre seu cotidiano, afinal quem nunca teve seu dia de cão??!! rs , somos seres humanos. Sorrir, chorar, refletir e aprender. Aprender pra vida. E sobre São Paulo, concordo com tudo que você disse, seus prós e contras. Sempre que vou SP, procuro conhecer um pedacinho desse lugar. Principalmente em se tratando de compras e descobrir lugares maravilhosos para degustar e se render aos sabores. E sempre que puder, compartilhe aqui suas alegrias e opniões são de grande valia!!! Beijos!

    • 16 de setembro de 2015 - 23:41

      Heloiza, claro, concordo com você. Acho que não só SP, mas qualquer cidade, a gente vai descobrindo um pouquinho a cada visita, e gostando (ou desgostando, porque não?) cada vez mais. Beijos!!

  21. Patricia
    16 de setembro de 2015 - 11:57

    Oi Ju bom dia!!!
    Nossa, achei tão desnecessário o comentário da coleguinha lá em cima… vixi gente, nesse país já não se pode mais ter opinião???? To começando a achar que não.
    Eu li o seu texto todo, e como tenho um dom chamado “saber ler todo o texto” (e outro dom chamado ironia kkkkkkkkk), entendi perfeitamente o que vc disse… que vc JÁ DEIXOU DE ODIAR SP (gente isso não ficou suficientemente claro na cabeça da coleguinha?)
    Não se preocupca com isso não Ju.. quer uma noticia boa? vou te contar algumas:
    – leio seu blog todos os dias (sim eu “releio” posts antigos tb) e amoooooo
    – suas receitas me ajudaram a dar uma guinada na minha vida financeira, pois além do meu trabalho, tb aceito encomendas de cupcakes, e mesmo cobrando um preço relativamente caro para o mercado, vendo muito bem!
    – vc é bem sucedida… vc tem seu trabalho, seu Sr. Namorado, talentos culinários e fotográficos, seu ap, um monte de bichinhos lindos, faz viagens lindas …

    isso causa inveja em algumas pessoas sabia?! Dai essas pessoas ficam procurando defeitos para ter o que falar … aff

    e quer saber de uma outra coisa?????????? Por mais que vc tenha explicado aqui neste post que SP tem muitas coisas interessantes e isso a fez MUDAR DE IDÉIA SOBRE ODIAR SP, e eu tb tenha ido a SP algumas vezes e andei muito por la, preciso te dizer uma coisa:

    EU ODEIO SP kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Só vou para fazer compras, mas em mim continua um “ranço” por SP tão grande que não sei te explicar…
    nada contra os paulistas, claroooo… estou falando da cidade.. sei lá, não gosto e pronto!

    E, oi? essa é a minha opinião ta!?
    kkkkkkkkkkk

    bjus

  22. 21 de setembro de 2015 - 07:39

    […] ideia sobre as situações da vida, né? Também acho. A gente pode odiar SP um dia e no outro já achar ela bonitinha. Já mudei muita opinião, é saudável. Mas tem uma que eu nunca mudei: acredito piamente que as […]

  23. Rubia Amorim
    21 de setembro de 2015 - 12:19

    Oii Ju adorei seu Post bem honesto!!!

    Eu moro em SP, nasci e cresci aqui e odeio essa cidade, aqui tem tdo mais qse nada é acessível, vc graças a deus ficou na região central, mais qm mora nos extremos chega a gastar 3 hras de viagem pra trabalhar, o transporte publico da vergonha, absurdamente lotados, o metro parando, trem inoperante, toh parecendo uma chata, mais essa cidade cansa, pois é tudo muito desigual, e tdo, absolutamente tdo tem fila, pode ser na semana de manhã, vai ter fila.
    Meus planos futuros são sair daqui.

    Sobre falar da sua opinião, acho valido afinal isso é um blog e não um site de noticias..

    • 13 de outubro de 2015 - 11:48

      Rubia, também notei isso em SP, se você fica na região central é uma ótima experiência, ou em bairros com infraestrutura, mas se você mora longe o que escutei dizer é que é horrível… nem água está tendo ainda!

  24. Cláudia
    08 de outubro de 2015 - 08:21

    Ju, fofa e querida! Tudo bem? Você lembra quanto comprou e quanto pagou nas sementes de papoula?

    • 15 de outubro de 2015 - 18:48

      Cláudia, eu não comprei nessa viagem! As que eu tenho são de outra viagem e eu ganhei de presente, de qualquer forma acho que o preço não vale mais. Sei que encontrei sementes de papoula pra vender no supermercado, postei foto no instagram com o preço!

  25. Nathalia
    23 de novembro de 2015 - 01:16

    Morei minha vida toda em SP Capital, nasci e cresci lá, num bairro considerado um dos melhores… finalmente pude sair daquela loucura e digo com todas as letras: não gosto de são paulo.
    Tem as facilidades de se ter tudo perto, que é ofuscado por ter que estar sempre alerta se vão te assaltar no farol, na rua, dentro de casa, se algum parente foi sequestrado… além da poluição, falta d’água e surtos de doenças… Se vc gostaria de conhecer de perto as pragas do egito, vá para são paulo!
    Acompanho o blog a mais de um ano, parabéns pelas receitas! Desta vez eu tive que me manifestar…

Ju Morgado

Sou uma jornalista com mais paixões do que o tempo me permite cultivar. Descobri na cozinha meu paraíso, meu refúgio depois de um dia cansativo ou estressante. É quase um vício, realmente. Não apenas cupcakes, mas qualquer coisa que eu ache interessante, desafiante ou divertido de fazer. Apesar do nome do blog, não é só de cupcakes que eu vivo. Amo fazer risotos, de todos os sabores, e simplesmente amo qualquer receita que envolva qualquer tipo de queijo.

A história do Cupcakeando

Não sei bem quando ou porquê eu comecei a me interessar por cozinhar. A lembrança mais antiga que tenho é de minha mãe me puxando para a cozinha, para me ensinar a fazer arroz branco, comum, e o molho de macarrão com tomates frescos que só ela sabe temperar.
Tudo que eu sei de cozinha aprendi de um jeito: prática. Minhas receitas são criadas da minha cabeça e implementadas dos meus testes ou então milimetricamente medidas de fontes confiáveis.
Tenho uma verdadeira paixão por cupcakes, pois acho que eles reúnem o que há de melhor na cozinha: manteiga, açúcar, fofurice, capricho e criatividade. Tudo na medida certa para uma pessoa saborear. Gosto de tentar coisas novas com esses pequenos e descobrir jeitos diferentes de decorá-los. Quando não estou fazendo nada, começo a pesquisar e estudar receitas, teorias e decorações de cupcakes. É, isso mesmo, estudar.
O blog também é uma maneira de praticar minha segunda paixão: fotografia. Sou daquelas que, enquanto passeia pelo parque, começa a achar ângulos de fotos que ficariam maravilhosas. Assim como eu estudo gastronomia e culinária, sento para ler sites e livros enormes sobre fotografia.

O gerúndio

Não fale mal dele antes de conhecê-lo melhor. Já ouvi por aí dizerem que jornalista jamais, sob nenhuma circunstância, pode usar o gerúndio. A justificativa fez sentido: “você usa o gerúndio quando não quer dar nenhuma previsão de término para sua a ação”, o que, no jornalismo, é basicamente como deixar o leitor esperando para sempre por aquela obra sanitária que o governo prometeu.
Mas foi exatamente a mesma explicação que me convenceu a usar o gerúndio para o nome do blog: eu não tenho previsão de fim para minha produção de cupcakes, jamais pretendo parar de fazê-los ou de cozinhar em geral. Se não tiver mais encomendas, será para amigos. Se meus amigos enjoarem, será para minha família. Quando minha família me dizer “CHEGA”, será para mim mesma (e talvez meu corgi. Eu tinha uma husky siberiana linda, que infelizmente se foi, mas vai estar sempre na minha memória). Porque é o que eu amo fazer e o que me deixa feliz.

Copyright

Todas as fotos e textos nesse site são produzidos pela confeiteira Ju Morgado, a não ser que esteja especificado o contrário. Eles representam muito trabalho e esforço. Caso deseje utilizar alguma foto ou texto do site, por favor, entre em contato. Ficarei imensamente grata em ajudar, mas é importante dar os devidos créditos. :)

Creative Commons License
Essa obra é licenciada perante a
Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Contato

Será que sua pergunta já não foi respondida no FAQ? Dê uma lida nele antes, para ter certeza!

Envie suas dúvidas ou pedidos de encomendas por aqui. Minhas encomendas de cupcakes são apenas para o Distrito Federal (DF). Outros doces e produtos podem ser enviados, a depender do pedido.

Eu respondo a todos os e-mails enviados. Garanta que você receberá minha resposta adicionando o e-mail contato@cupcakeando.com.br na sua lista de endereços seguros, ou minha resposta poderá cair na sua caixa de Spam!