terça, 30 de maio de 2017

Brigadeiro petit paradis

5 Comentários

Não foi de graça que eu cheguei a pesar 74kg de pura gordura localizada. Ninguém chega aí sem motivo. No auge da minha gordice, lá pra meados de 2015, eu não sabia se eu era Juliana ou fofão no espelho.
Isso se deveu a dois fatores. Na faculdade, parei a prática de handebol que eu tinha durante o ensino médio, ganhei um carro e parei de caminhar da escola até a parada e da parada até minha casa, e basicamente passava longos períodos sentada – ou trabalhando na locadora de filmes ou estudando jornalismo. Só que continuei comendo igual. Por um tempo, acho que meu metabolismo segurou.
Mas aí veio o segundo fator: o Sr. Namorado.

Brigadeiro petit paradis
Esse rapaz destemido tem uma leve disfunção maníaca de “agradar”. Ele adora agradar, a mim, à mãe, ao sobrinho, à sobrinha, e por aí vai. E como ele encontra maneiras de agradar? Comida. Nos dois primeiros anos de namoro, nosso programa número um era basicamente comer. Não houve lugar não desbravado em Brasília por nós.
Um deles foi uma descoberta sem querer em um shopping. Eu queria um docinho e lá tinha uma dessas lojinhas de corredor, stands sabem?, que vendia brigadeiros gourmets. Era o ápice do brigadeiro gourmet. Eles tinham vários sabores, e um deles eu elegi como meu favorito ever. Brigadeiro petit paradis.

Brigadeiro petit paradis
É um brigadeiro meio amargo envolto com biscoito crocante. Eu amava aquilo. E o Sr. Namorado achou o prato certo para me agradar: ele semanalmente brotava com 16 brigadeiros da loja pra mim – ao que euzinha jamais neguei. Aliás, eu comia todos em uma sentada enquanto trabalhava.
De brigadeiro em brigadeiro, sem um pingo de exercício físico, eu fui escalando minha montanha rumo aos 74kg de maneira promissora.

Brigadeiro petit paradis
Desde então, eu interrompi a loucura do rapaz (que agora dá presentes mais regrados e somente sob autorização) e parei de achar que “senhor do céu preciso comer agora tudo senão vai acabar pra sempre amanhã”. Claro que não vai, né?
Pois acabou. Um belo dia, a loja fechou e eu jamais vi petit paradis novamente. Meu pequeno paraíso havia desaparecido.
Mas não tema, Juliana. Afinal, tu é confeiteira, mulher. Tratei de testar em casa um método de fazer uma cópia, que eu diria satisfatória mas não idêntica. De qualquer jeito, é uma ideia muito saborosa e que fica super bonita em uma festinha.
Pra fazer esse brigadeiro, você precisa comprar biscoito biju, ou fazer o seu. “O que é biscoito biju?” você pode perguntar. Biju é aquele biscoito de semáforo, em formato de canudo. Veja aqui uma foto dele. Eu encontro pra vender em semáforos de Brasília, com os ambulantes, ou em distribuidoras de doces. Provavelmente é aonde você vai encontrar na sua cidade. Ou você pode fazer o seu, tem algumas receitas pela internet.

Brigadeiro petit paradis
Rende: depende do tamanho do seu brigadeiro, mas da pra fazer umas 25 unidades de 20g cada

1 caixa (395g) de leite condensado
1/2 caixa (100g) de creme de leite uh, ou fresco
30g de cacau em pó
20g de chocolate em pó
1 colher de sopa de manteiga
2 pacotes de biscoito biju

1 – Comece quebrando o biscoito biju em pedacinhos. Não quebre em pedaços muito pequenos senão vira uma farinha, e a gente quer que se mantenha biscoito pra continuar crocante o máximo possível. Pensa no tamanho que você vai enrolar o brigadeiro e mede mais ou menos o tamanho dos quebradinhos. Eu quebrei no próximo saco que o biju vem, com a mão, hahaha. Coloque em um prato onde você vai enrolar os brigadeiros.
2 – Em uma panela de fundo grosso, leve os outros ingredientes, todos juntos, para ferver. Mexa sempre, fazendo aquele tradicional brigadeiro, raspando as paredes da panela, os cantinhos e o fundo. Quando começa a borbulhar, eu costumo contar 7 minutos em fogo médio, mexendo sem parar. Geralmente aí chega no ponto certo que eu gosto para enrolar brigadeiros. Um jeito de saber se está no ponto também é virar a panela de ladinho, e quando a massa desgrudar completamente do fundo e fazer uma cambalhota, está no ponto. Eu aprendi essa dica com a querida Carol do Clube de Brigaderia.
3 – Transfira para um prato e espere esfriar completamente. Eu gosto de enrolar depois de ficar na geladeira por uns 30 minutos também, acho que fica mais fácil e menos grudento.
4 – Depois é só enrolar e passar no biscoito biju. Eu molho a mão com um pouco de água gelada para auxiliar – antes eu fazia com manteiga mas o brigadeiro ficava muito gorduroso. Mas não use muita água também, porque o biscoito vai absorver e ficar mole. Na verdade, o biscoito já vai fazer isso com a umidade natural do brigadeiro, por isso é interessante passar no biju só próximo de servir. Coloque nas forminhas e voilá!

Brigadeiro petit paradis
Você já teve algo que você viciou e comia igual louco por meses, todos os dias se deixassem? O que foi?

  1. Ionice
    30 de maio de 2017 - 09:48

    Juliana! São muito bonitas e simples a maneira que conta as histórias.
    E, corajosas.
    Sem esquecer, as receitas que são deliciosas.
    Obrigada por compartilhar.

  2. Michelle
    30 de maio de 2017 - 10:34

    JU… que delicia. Eu sou viciada em tudo que é de comer rsrs ja cheguei aos 74kg tb rsrs o ideal é 58kg mas to satisfeita com os 63kg…. hoje tô viciada num pão de forma novo artesanal e uma manteiga com flor de sal hummm. Aqui no sul chamamos esse biju de casquinha, passava uma pessoa vendendo na rua com um negocio de madeira e fazendo um barulho. Hoje nao vejo pra vender mas deve ficar delicioso. Bjs.

  3. Gabrielle
    01 de junho de 2017 - 01:16

    Hj fiz seu red velvet. Divino.
    Mas esse brigadeiro pediu pra ser testado, a história alavancou a curiosidade, mas cadê que manaus tem pra vender esse trocinho crocante?! Não tem. E foi assim, de como eu fiquei a passar
    Vontade… Quanto ao peso Ju, eu não passei dos 80 com um ou dois vícios, e meu namorado, hj esposo, tem mais de 40 quilos de culpa nisso… Mas é aquela, sobra peso, e alaga de felicidade, então tá bom huahauaha…

    • 05 de junho de 2017 - 23:38

      Gabrielle, faz o seu biscoitinho em casa! E sim, concordo, pelo menos estamos esbanjando felicidade e amor com nossos amados :)

Ju Morgado

Sou uma jornalista com mais paixões do que o tempo me permite cultivar. Descobri na cozinha meu paraíso, meu refúgio depois de um dia cansativo ou estressante. É quase um vício, realmente. Não apenas cupcakes, mas qualquer coisa que eu ache interessante, desafiante ou divertido de fazer. Apesar do nome do blog, não é só de cupcakes que eu vivo. Amo fazer risotos, de todos os sabores, e simplesmente amo qualquer receita que envolva qualquer tipo de queijo.

A história do Cupcakeando

Não sei bem quando ou porquê eu comecei a me interessar por cozinhar. A lembrança mais antiga que tenho é de minha mãe me puxando para a cozinha, para me ensinar a fazer arroz branco, comum, e o molho de macarrão com tomates frescos que só ela sabe temperar.
Tudo que eu sei de cozinha aprendi de um jeito: prática. Minhas receitas são criadas da minha cabeça e implementadas dos meus testes ou então milimetricamente medidas de fontes confiáveis.
Tenho uma verdadeira paixão por cupcakes, pois acho que eles reúnem o que há de melhor na cozinha: manteiga, açúcar, fofurice, capricho e criatividade. Tudo na medida certa para uma pessoa saborear. Gosto de tentar coisas novas com esses pequenos e descobrir jeitos diferentes de decorá-los. Quando não estou fazendo nada, começo a pesquisar e estudar receitas, teorias e decorações de cupcakes. É, isso mesmo, estudar.
O blog também é uma maneira de praticar minha segunda paixão: fotografia. Sou daquelas que, enquanto passeia pelo parque, começa a achar ângulos de fotos que ficariam maravilhosas. Assim como eu estudo gastronomia e culinária, sento para ler sites e livros enormes sobre fotografia.

O gerúndio

Não fale mal dele antes de conhecê-lo melhor. Já ouvi por aí dizerem que jornalista jamais, sob nenhuma circunstância, pode usar o gerúndio. A justificativa fez sentido: “você usa o gerúndio quando não quer dar nenhuma previsão de término para sua a ação”, o que, no jornalismo, é basicamente como deixar o leitor esperando para sempre por aquela obra sanitária que o governo prometeu.
Mas foi exatamente a mesma explicação que me convenceu a usar o gerúndio para o nome do blog: eu não tenho previsão de fim para minha produção de cupcakes, jamais pretendo parar de fazê-los ou de cozinhar em geral. Se não tiver mais encomendas, será para amigos. Se meus amigos enjoarem, será para minha família. Quando minha família me dizer “CHEGA”, será para mim mesma (e talvez meu corgi. Eu tinha uma husky siberiana linda, que infelizmente se foi, mas vai estar sempre na minha memória). Porque é o que eu amo fazer e o que me deixa feliz.

Copyright

Todas as fotos e textos nesse site são produzidos pela confeiteira Ju Morgado, a não ser que esteja especificado o contrário. Eles representam muito trabalho e esforço. Caso deseje utilizar alguma foto ou texto do site, por favor, entre em contato. Ficarei imensamente grata em ajudar, mas é importante dar os devidos créditos. :)

Creative Commons License
Essa obra é licenciada perante a
Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Contato

Será que sua pergunta já não foi respondida no FAQ? Dê uma lida nele antes, para ter certeza!

Envie suas dúvidas ou pedidos de encomendas por aqui. Minhas encomendas de cupcakes são apenas para o Distrito Federal (DF). Outros doces e produtos podem ser enviados, a depender do pedido.

Eu respondo a todos os e-mails enviados. Garanta que você receberá minha resposta adicionando o e-mail contato@cupcakeando.com.br na sua lista de endereços seguros, ou minha resposta poderá cair na sua caixa de Spam!