Friday, 02 de November de 2012

Risoto bouquet garni com camarões

9 Comments

Se eu tivesse que escolher um prato para comer pelo resto da minha vida, somente ele, provavelmente seria uma batalha difícil entre risoto e sushi. Não sei bem o motivo do meu fascínio por eles.
Minha paixão por sushi vem de um tempo, em uma festa de inauguração de um shopping. Eu estava tentando impressionar um garoto e, por alguma razão na minha cabeça, comer peixe cru parecia apropriado e incrível naquele momento. Agora, imagino que deve ter sido meio patético. A coisa boa que tirei dessa noite foi provar a culinária japonesa pela primeira vez e iniciar uma paixão avassaladora que me faz escolher churrascarias pela qualidade do sashimi no sushibar.
Já o risoto, eu honestamente não faço ideia de quando comecei a amar. Foi um dos primeiros pratos que eu me dediquei a estudar e aprender a fazer na cozinha. Desde então, conto a marca de, pelo menos, 50 risotos servidos. Fiz mais risotos do que fiz miojos, na vida.
Houve umas semanas em que cozinhei risotos 3 vezes. Em um dia de gordice, almocei e jantei dois diferentes. Nunca mais repeti essa aventura, porque tenho piedade da minha dieta, né.


Em comparação, acredito que é possível fazer risoto/sushi de tudo. Não necessariamente eu vou achar ótimo – detesto risoto/sushi com manga –, mas que é possível, é. A versatilidade é infinita. Eu posso viver com isso.

Risoto bouquet garni com camarões
Rende: 2-3 porções

15 camarões médios limpos, sem casca
1 dente de alho grande, amassado
4 xícaras de chá de água
1 bouquet garni
1/2 xícara (100g) de cebola branca média picada bem fina

2 colheres de sopa de azeite

1 xícara (200g) de arroz arbório ou carnaroli

1/2 de xícara de chá de vinho branco

2 colheres de sopa (30g) de manteiga gelada

1/2 xícara de chá (40g) de queijo parmesão ralado na hora
sal e pimenta a gosto

1 – Caso não ache pronto para comprar, prepare o seu bouquet garni com pequenos galhos de salsa, tomilho e folha de louro. Amarre com um barbante, deixando a ponta bem longa para que fique fora da panela. Ferva a água com o bouquet. Retire o bouquet e reserve.
2 – Tempere os camarões com o alho amassado e umas gotas de azeite. Em uma frigideira pequena, frite os camarões por 45 segundos de cada lado. Camarão não deve ficar muito tempo no fogo, senão ele fica “borrachudo”. Corte alguns em pedaços e deixe outros inteiros, depois reserve enquanto faz o risoto.
3 – Em uma panela de fundo grosso, refogue a cebola nas colheres de azeite em fogo baixo por aproximadamente 3 minutos. Não deixe que dourem, devem ficar apenas translúcidas.

4 – Acrescente o arroz, aumente o fogo e mexa bem por 2 minutos, garantindo que cada grão fique envolto em uma camada de azeite.

5 – Derrame o vinho e continue mexendo, até que evapore. É bem rápido!
6 – Comece a adicionar o caldo do bouquet garni aos poucos. Use uma concha de feijão, se preferir. Misture bastante com a colher, até que o arroz absorva tudo. Aqui, confira o sabor do caldo e tempere com mais sal e pimenta, se preferir. Lembre-se que o queijo parmesão é naturalmente salgado e irá acrescentar isso ao prato final.
7 – Continue adicionando o caldo até o conteúdo da panela praticamente dobrar de tamanho. Prove um grão para saber se está al dente – o arroz deve estar macio, mas com o centro ainda duro. Quando atingir essa consistência, pare de adicionar caldo e retire do fogo. Caso o líquido acabe antes, complete com água quente.

8 – Acrescente os camarões, a manteiga e o parmesão ralado. Misture vigorosamente. Tampe a panela e deixe descansar por 4 minutos antes de servir bem quentinho.


O Sr. Namorado é alérgico a camarões, e eu sou apaixonada por eles. Quando faço pratos com camarões, costumo deixá-los pré-prontos, como nessa receita, para acrescentar ao final. Assim, divido em duas porções: uma com e outra sem para comermos juntos. Estou aguardando pacientemente o dia que ele fará o tratamento de alergia – muitas injeções durante várias semanas – para poder comer de novo.

Qual prato você escolheria para comer pelo resto da vida?

  1. 02 de November de 2012 - 16:25

    Olá Juliana!!Esse risoto parece maravilhoso!!Amo risoto, sempre dá para se aproveitar tudo que estiver dando sopa na geladeira ou despensa…rsrsrs
    Ah estou fazendo agora meu bolo de aniversário, como sou fissurada em cookies and cream, vou fazer a cobertura negresco daqui do seu blog,eu tenho uma dúvida, será que só dá certo com o açúcar impalpável ou o de confeiteiro pode ser usado??

    • 02 de November de 2012 - 16:48

      Oi Cintia!

      Dá certo com o de confeiteiro também, mas talvez fique um pouco mais granulado, sabe? Daquele jeito que a gente sente o açúcar nos dentes quando morde. Mas fica gostoso do mesmo jeito. :)

      Depois me diz como ficou! Tira uma foto! Beijo!

  2. 02 de November de 2012 - 18:36

    Ju…
    eu simplesmente amoooo o seu blog!!! porque tem aqui duas das coisas eu mais amo nessa vida: receitas e fotos lindas!!! hahaha
    me aventuro na cozinha.. e já fiz várias das suas receitas!

    estou fazendo agora pela primeira vez suspiro!! kkkk
    não é tão simples quanto parecia.. fiquei um tempão batendo na batedeira, e coloquei no forno (que estava quente demais!) não deu certo!! =/
    vamos ver se a segunda fornada vai dar certo!!!

    você é de brasília?? eu tbm sou!
    acho que eu vi em algum post vc falando isso..hehe
    beijos!

    =)

    • 02 de November de 2012 - 21:29

      Oi Hayane!

      Que legal, você já tentou algumas receitas minhas! Me dê o feedback, gosto de saber quando dá certo, errado ou o que vocês mudam nas receitas! ;)
      Suspiro eu já fiz, muitos anos atrás. Não ficaram com a melhor das aparências, mas ficaram gostosos!

      Sou de Brasília, sim! Vivo nesse ovo de codorna. Capaz da gente se conhecer e nem saber, né. Hehehe.
      Um beijo e volte sempre por aqui!

  3. 03 de November de 2012 - 10:47

    Minha querida Juliana, pela aparência desse risoto eu entendo plenamente sua paixão por eles.Também me apaixonei, eu quero rsrs.
    Ficou apetitoso.Beijos querida, tenha um lindo final de semana.

  4. vivi
    05 de November de 2012 - 13:03

    parece delicioso. pena aqui em casa nínguem gostar de camarão. acredita.
    pobre tem cada coisa…. rsrsrrs
    mas eu queria muito aprender a fazer um risoto de frango.
    amei a historinha. eu parei de comer unha por causa de um garoto. rsrs a gente faz cada coisa.hehheheh
    nunca comi risoto mas sempre digo que mesmo sem comer eu amo pois amooooo arroz papa e sopinha de bebê. rs
    besos
    vivi

    • 05 de November de 2012 - 13:12

      Ah, Vivi, eu adorava um risoto de frango defumado de um restaurante aqui em Brasília. Pena que ele fechou, mas tenho como uma missão reproduzi-lo algum dia. Daí coloco aqui no blog pra gente! :)

      Um beijo!

  5. Natascha
    10 de March de 2013 - 03:54

    Olá Juliana,

    gostaria de saber se algum dia poderei experimentar esse MARAVILHOSO risoto?!

    :)

    Beijo!

    • 10 de March de 2013 - 15:18

      Está registrado que eu lhe devo vários risotos. Marca o dia: que seja um sábado! ;)

Juliana Morgado

I’m a journalist with more passions than time can allow me to have. I have found in the kitchen my paradise, my resting place after a long and exhausting day. It’s my addiction, really. Not only cupcakes but anything that I find interesting, challenging or fun to do. Despite the blog’s name, it’s not all about cupcakes. I love cooking risotto, of all kinds, and I simply love any recipe with cheese.

Cupcakeando’s History

I’m not sure when or why I started to cook. My memories are of my mother putting me in the kitchen and teaching Brazilian white rice and her awesome pomodoro sauce for spaghetti, with fresh tomatoes just the way only she can do. All I know in the kitchen I’ve learned by one way: practice. My recipes are created from my head and implemented with the tests I run, or even meticulously measured from trusted sources.
I have a true passion for cupcakes, because I believe they represent everything that’s good in the kitchen: butter, sugar, cuteness, dedication and creativity. Everything in the right amount for one person.
I enjoy experimenting with these little ones, and finding out new ways do decorate them. When I have nothing better to do, I start researching and studying recipes, theories and decorations for cupcakes. Yeah, study, that’s right.
The blog is also a place for my second passion: photography. I’m that person who keeps looking for angles and shots while walking on the park. I also study the art of photography through websites and books.

The Name

Cupcakeando means, roughly, cupcakeing in Portuguese. The noun “cupcake” is in a verb tense that most well-schooled Brazilians hate because it means an action that will never stop. That’s precisely my intention. I don’t have any wish to stop my cupcake factory anytime soon, or even stop cooking in general. If I don’t have anymore orders, it will be for friends. If my friends get sick of it, it will be for my family. When my family says “ENOUGH”, it will be for myself (and maybe for my Siberian husky and my Pembroke corgi). Because that’s what I love to do and what makes me truly happy.

Copyright

All photos and texts on this website are produced by Cupcakeando, unless specified otherwise. They represent a lot of work and effort. In case you want to use any photo or text from this website, please make sure to link back to me or even get in touch with me before anything. I’ll be glad to help, but it’s important to give the proper recognition. :)

Creative Commons License
This work is licensed under a
Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Contact

What if your question has already been answered on the FAQ? Read it just to make sure!

Send your questions or doubts through here.
I answer to each and every e-mail sent to me. Make sure you’ll get my e-mail by adding contato@cupcakeando.com.br to your safe contacts, or my answer might just flip into your spam box.