quinta, 25 de maio de 2017

Bolo de doce de leite caseiro e paçoca

4 Comentários

Fiz esse bolinho para um amigo que não estava nos melhores dias. Afinal, sou confeiteira e sou gordinha, o que significa que toda vez que penso em ajudar de alguma forma, fatalmente minha solução recai em comida. E doce. Claro que não sou apenas a amiga da comida. Eu tento fazer o que posso pra ajudar meus amigos. Eles são uma parte do que eu tenho como família. Fico frustrada quando não consigo fazer nada para ajudar, além de comida.
Queria poder ter algo pra te ajudar além desse bolinho, amigo. Queria poder ser mais ativa no seu projeto para, quem sabe, ser útil de alguma forma – preferencialmente, sem números. Queria que ele fosse menos problemático e que você concluísse mais rápido, pra ver logo o resultado do seu esforço e se sentir bem com isso.
Mas, por enquanto, vai esse bolinho aí.

Bolo de doce de leite com paçoca

Bolo de doce de leite com paçoca
Queria poder te dar uma previsão exata de quando seu sonho vai se tornar realidade. Queria poder ajudar com sua frustração enquanto esse dia não chega. Queria que você fosse menos ansioso sem perder a força de vontade, porque seria mais fácil pra você passar por esse tempo sofrendo menos – um tempo que pode ser dias, meses ou anos. Queria que o tempo passasse mais rápido pra você, porque sei que sua raiva com o mundo fica mais apurada conforme a frustração aumenta, e ela cresce sempre que as coisas parecem não dar certo e o tempo aumenta o abismo entre você e seu objetivo. Queria que no meio disso você não perdesse sua essência.
Vá lá, por agora, temos esse bolinho.

Bolo de doce de leite com paçoca

Bolo de doce de leite com paçoca
Queria que você estivesse mais satisfeito com suas conquistas para poder enxergá-las como eu enxergo. Queria que você percebesse, como eu percebo, o quanto você avançou na sua vida. Queria que as coisas que você já alcançou estivessem maiores na frente dos seus olhos, para que essa ideia de que você nada fez em quase 30 anos sumisse do seu interior.
Queria que você não tomasse as coisas que você já tem “for granted” e queria que sua ambição não te tirasse do caminho das pessoas que gostam de você. Queria que nós estivéssemos lá quando você chegasse aonde vai te fazer feliz.
Infelizmente, por agora, só temos esse bolinho.

Bolo de doce de leite com paçoca
Ele tem paçoca e doce de leite, e eu acredito que juntos podem formar algum tipo de incentivo enorme para seus projetos. Afinal, trabalhar de barriga cheia com o que a gente gosta deve ser melhor do que com fome, disso eu tenho certeza.

Bolo de doce de leite caseiro e paçoca
Rende: 1 bolo de 15cm de diâmetro, 3 camadas de recheio

Bolo
2 ovos
1/4 xícara (56ml) de óleo (de canola ou girassol)
1/2 xícara (115ml) de leite
1/4 colher de chá de sal
3/4 xícara (150g) de açúcar
sementes de 1/2 fava de baunilha ou 1 colher de chá de extrato de baunilha
1 1/4 colher de chá de fermento
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 1/2 xícara (195g) de farinha

Recheio e cobertura
500ml de leite integral (se encontrar o fresco, melhor ainda)
3/4 xícara (150g) de açúcar
1 colher de sopa de glucose (ou karo)
1/4 colher de chá de sal
1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
sementes de 1/2 fava de baunilha ou 1 colher de chá de extrato de baunilha
400g de doce de leite já pronto, industrial e tal
5 paçocas (ou mais se você quiser)

1 – Faça primeiro o doce de leite: leve o leite, o açúcar, a glucose e o sal em uma panela bem grande e alta para ferver. Ligue em fogo alto e vá mexendo até o açúcar derreter todo na panela. Quando começar a formar uma espuma, acrescente o bicarbonato de sódio. O leite vai subir imediatamente, desligue o fogo se precisar e misture com rapidez. Diminua o fogo pro médio-baixo e vá mexendo constantemente por uns 50 minutos. Sim, leva isso tudo. Talvez chegue no ponto antes, então fique atento mesmo à cor do seu doce de leite. Quando ele ficar naquele marrom profundo, com cheirinho tradicional de doce de leite, e você ver o fundo da panela quando passa a espátula – está pronto!
2 – Remova do fogo e adicione as sementes de baunilha, ou o extrato, e também o doce de leite já pronto. Misture bem para incorporar tudo. Vai ajudar a ficar menos quente também. Reserve enquanto faz o bolo.
3 – Para o bolo: em uma tigela, bata os ovos e o óleo juntos com um fouet. Quando estiver bem misturado, adicione o leite e o sal e mexa bem.
4 – Acrescente o açúcar e as sementes de baunilha e mexa bem. Cheio de pontinhos pretos, não é lindo?
5 – Adicione a farinha, o fermento e o bicarbonato e mexa com o fouet para incorporar tudo. Bata a massa de leve com o fouet, umas 10 vezes, para criar estrutura pro bolo.
6 – Unte e enfarinhe duas fôrmas de 15cm de diâmetro cada, ou cubra com papel manteiga no fundo para não grudar. Divida a massa entre as duas fôrmas, dê leves batidinhas na bancada pra nivelar e tirar grandes bolhas de ar e leve para assar por uns 18 minutos. Gire as fôrmas lá pelos 12 minutos, para assar uniformemente. Quando estiver com o topo levemente dourado, teste com um palito e se o centro estiver assado, retire as fôrmas e deixe esfriar. Quando conseguir manusear, passe uma faca nas laterais e retire os bolos das fôrmas.
7 – Corte os bolos ao meio e monte-os. Eu achei mais fácil assim: passe o doce de leite em uma banda e espalhe a paçoca por cima. Com a outra banda, passe um pouco de doce de leite pra grudar, e coloque a parte melecadinha em cima da paçoca. Espalhe doce de leite por cima, espalhe a paçoca e repita tudo de novo até fechar o bolo com a última camada de massa. Então, cubra tudo com doce de leite – foi mais fácil pra mim esquentando um pouco o doce de leite, pra ele ficar menos firme, e deixando o bolo inteiro na geladeira por uns 30 minutos.
8 – Para decorar, eu usei mais paçoca nas bordinhas perto do prato, e por cima coloquei uns biscoitos de amêndoas que encontrei no mercado. Mas você pode decorar do jeito que preferir, desde que fique gostoso pra você e pra quem você presentear. Pessoalmente, gosto mais desse bolo geladinho. Como ele é feito com óleo, ele não fica duríssimo na geladeira.

Bolo de doce de leite com paçoca

Dicas:
– Porque misturar um doce de leite caseiro com um industrializado? Você não precisa misturar, mas eu gosto do resultado. Foi uma dica da minha querida Luciana, da La Carmela Pães de Mel (os melhores pães de mel que você vai comer na vida). O caseiro não costuma ter uma consistência muito elástica para decorar, então misturar com um industrializado ajuda a chegar naquele ponto ideal. E o sabor fica excelente. Obviamente, use um industrial que seja de alta qualidade – no caso, usei da Havanna. La Sereníssima eu também gosto, assim como o La Salamandra e o D’Alice.
– Se não quiser, não precisa misturar com doce de leite industrializado. Faça só o caseiro e use no seu bolo! Se for fazer todo caseiro, então recomendo triplicar a receita do doce de leite.
– Obviamente em cada lugar a massa crua vai ter um peso total diferente, afinal os ovos tem pesos diferentes e seu medidor pode ser diferente do meu, portanto o ideal para dividir uma massa em duas fôrmas, se você quiser ser perfeccionista, é pesar a massa crua em uma tigela e dividir esse valor em dois. Mas fazer no olho também da certo e no fim tudo fica gostoso igual!

segunda, 22 de maio de 2017

O que eu vi por aí – Links legais

0 Comentários

– Cresci com um pai fã de Beatles e por muito tempo eu escutava dele, não sei se como piada ou sério, que Yoko Ono foi a culpada pelo fim da banda. Passei a reproduzir a informação como verdade, afinal quando a gente é pequena nossa referência de verdades são nossos pais mesmo. E olha que eu nem sou fã de Beatles, mas eu sempre “soube” que a culpa era da Yoko Ono, em qualquer conversa sobre a banda. Foi lendo esse texto que eu me peguei repetindo esse esteriótipo de culpa em cima de alguém sem ter conhecimento dos fatos. E não entro no mérito de feminismo, é uma questão mais simples ainda: é de como a gente reproduz com muita facilidade as coisas que nos dizem sem saber de todos os lados. Sem saber o que a Yoko Ono acha. Sem saber o que John Lennon achava. Nossa capacidade de se meter na vida dos outros, talvez.

– AMEI este texto aqui da Ruth Manus sobre nossa vida atual, como nos cobramos demais e como devemos ser mais delicados com nós mesmos. De verdade, estava precisando ler isso.


– Por mim, é só tirar as azeitonas desse pratão de macarrão maravilhoso que ta pronto pro meu paladar. Nossa, eu detesto azeitonas, gente. Sério. Detesto. Pra mim azeitonas são aquelas coisinhas que não podem nem vir pra eu tirar depois, porque eu sinto que o sabor fica na comida toda.

– Eu to rindo até agora dessa lista de coisas que a gente deve fazer antes das 8h, porque é tão ridículo que a gente se cobre tantas tarefas o tempo todo… vide texto de cima. Gosto de acordar cedo – aliás nem é escolha, meu corpo não me deixa passar das 8h da manhã dormindo – e acredito ser mais produtiva pela manhã do que sou a tarde ou a noite. Mas cada um é cada um, né? Não da pra colocar todo mundo no mesmo saco científico.


– Mini pizzas de abobrinha, ou mini canapés de abobrinha? Qualquer nome, desde que tenha esse queijo derretido por cima. Receita e ideia genial lá do Casa com Bossa. Vou fazer no fim de semana com certeza!

Juliana Morgado

Sou uma jornalista com mais paixões do que o tempo me permite cultivar. Descobri na cozinha meu paraíso, meu refúgio depois de um dia cansativo ou estressante. É quase um vício, realmente. Não apenas cupcakes, mas qualquer coisa que eu ache interessante, desafiante ou divertido de fazer. Apesar do nome do blog, não é só de cupcakes que eu vivo. Amo fazer risotos, de todos os sabores, e simplesmente amo qualquer receita que envolva qualquer tipo de queijo.

A história do Cupcakeando

Não sei bem quando ou porquê eu comecei a me interessar por cozinhar. A lembrança mais antiga que tenho é de minha mãe me puxando para a cozinha, para me ensinar a fazer arroz branco, comum, e o molho de macarrão com tomates frescos que só ela sabe temperar.
Tudo que eu sei de cozinha aprendi de um jeito: prática. Minhas receitas são criadas da minha cabeça e implementadas dos meus testes ou então milimetricamente medidas de fontes confiáveis.
Tenho uma verdadeira paixão por cupcakes, pois acho que eles reúnem o que há de melhor na cozinha: manteiga, açúcar, fofurice, capricho e criatividade. Tudo na medida certa para uma pessoa saborear. Gosto de tentar coisas novas com esses pequenos e descobrir jeitos diferentes de decorá-los. Quando não estou fazendo nada, começo a pesquisar e estudar receitas, teorias e decorações de cupcakes. É, isso mesmo, estudar.
O blog também é uma maneira de praticar minha segunda paixão: fotografia. Sou daquelas que, enquanto passeia pelo parque, começa a achar ângulos de fotos que ficariam maravilhosas. Assim como eu estudo gastronomia e culinária, sento para ler sites e livros enormes sobre fotografia.

O gerúndio

Não fale mal dele antes de conhecê-lo melhor. Já ouvi por aí dizerem que jornalista jamais, sob nenhuma circunstância, pode usar o gerúndio. A justificativa fez sentido: “você usa o gerúndio quando não quer dar nenhuma previsão de término para sua a ação”, o que, no jornalismo, é basicamente como deixar o leitor esperando para sempre por aquela obra sanitária que o governo prometeu.
Mas foi exatamente a mesma explicação que me convenceu a usar o gerúndio para o nome do blog: eu não tenho previsão de fim para minha produção de cupcakes, jamais pretendo parar de fazê-los ou de cozinhar em geral. Se não tiver mais encomendas, será para amigos. Se meus amigos enjoarem, será para minha família. Quando minha família me dizer “CHEGA”, será para mim mesma (e talvez meu corgi. Eu tinha uma husky siberiana linda, que infelizmente se foi, mas vai estar sempre na minha memória). Porque é o que eu amo fazer e o que me deixa feliz.

Copyright

Todas as fotos e textos nesse site são produzidos pelo Cupcakeando, a não ser que esteja especificado o contrário. Eles representam muito trabalho e esforço. Caso deseje utilizar alguma foto ou texto do site, por favor, entre em contato. Ficarei imensamente grata em ajudar, mas é importante dar os devidos créditos. :)

Creative Commons License
Essa obra é licenciada perante a
Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Contato

Será que sua pergunta já não foi respondida no FAQ? Dê uma lida nele antes, para ter certeza!

Envie suas dúvidas ou pedidos de encomendas por aqui. Minhas encomendas de cupcakes são apenas para o Distrito Federal (DF). Outros doces e produtos podem ser enviados, a depender do pedido.

Eu respondo a todos os e-mails enviados. Garanta que você receberá minha resposta adicionando o e-mail contato@cupcakeando.com.br na sua lista de endereços seguros, ou minha resposta poderá cair na sua caixa de Spam!